As crianças, o sol e a praia!

Com a chegada oficial do verão, também chega muita diversão para as crianças, a nós adultos cabe-nos a tarefa de prevenir os perigos inerentes do sol, da praia, do mar e das brincadeiras, por isso deixo alguns cuidados a ter na praia principalmente em crianças entre 1 e 5 anos.

1-  Pulseira de identificação

A PSP disponibiliza gratuitamente pulseiras de identificação de crianças. O programa chama-se Estou Aqui.

A pulseira tem um código alfanumérico e permite a quem encontrar a criança possa, através de uma chamada para o 112, contactar os pais. Por isso cada pulseira é única e intransmissível.

Esta pulseira também é activada na Europa, ideal para viagens. A pulseira pode ser solicitada através:  https:www.estouaqui.mai.gov.pt 

e são levantadas na esquadra da PSP da área da residência. 

Também é importante dar à criança um ponto de referência, no caso de estar perdida, algo que se destaque no local onde estamos.

2- Protector solar

A pele da criança é muito sensível, e como tal antes de sair de casa devemos colocar protector, eu uso factor 50+ para crianças.

Cuidado com as alergias ( deve-se testar o protector numa área pequena, e esperar meia hora, senão ficar vermelha e não der comichão, então o protector solar está aprovado) no final da época balnear deve ser deitar fora, ou seja, devemos comprar um protector a cada ano.

Quando colocar o protector, ter cuidado especial com a zona dos olhos, trata-se de um creme, com a água escorre e pode criar ardência no olhos da criança. 

Não esquecer que durante o tempo que se estiver na praia o protector deve ser re-colocado várias vezes pois entre as brincadeiras e as idas à água ele vai desaparecendo.

Também importante lembrar que mesmo que os dias estejam nublados o protector é importante, normalmente acabamos por nos queimar mais nesses dias por dar-nos menos importância ao sol, portanto nas crianças ainda mais.

3- Horário de exposição ao sol

Se o sol faz mal aos adultos, imagine o que faz às crianças, com pele ainda mais sensível, por isso o ideal é que as crianças apanhem baninhos de sol nas primeiras horas da manhã, até às 10H00, e com um chapéu na cabeça, e depois das 16H30.

Estes baninhos de sol não devem ser directos, a criança deve estar sempre debaixo de um chapéu de sol, eu tenho a Isabel sempre a brincar numa sombra. 

4- Ter sempre a criança ” debaixo de olho”

Os perigos na praia não são poucos, a criança pode-se perder, pode entrar na água sozinha, pode colocar coisas na boca.

Em regra uma criança não tem medo de nada e não acha nada perigoso, estão na fase da descoberta, por isso é fundamental estarmos sempre atentos ao que estão a fazer.

5- Descalços

No inicio as crianças, quando ainda não familiarizadas com a areia, estranham, é normal, existem sandálias que ajudam a familiarização e permitem que naquela areia mais grossa ou suja não magoem os pés.

Eu verifico se está suja, se não existe nada em que possa picar os pés porque o contacto com a areia é importante, quer a nível motor quer para se adaptar à sensação, por isso a sandália anda sempre no saco mas só uso se vir necessidade.

6- Cuidado com a areia

As crianças gostam muito de colocar tudo o que vêm na boca, é a forma de explorar o mundo que os rodeia, e a areia pode-lhes causar problemas de saúde.

Areia pode ter fezes de animais, tampinhas pequenas ou paus de gelado. Também pode estar muito quente e queimar a planta do pé.

Outro cuidado a ter é que durante as brincadeiras a areia pode entrar nos ouvidos e causar incómodo, um chapéu pode ajudar a minimizar esse problema.

7- Beber muita água

Na praia com as brincadeiras, com o sol quente a criança transpira muito, não perdendo só água, mas também eletrólitos ( sódio e potássio), portanto é importante beber água, sumos de frutas naturais e não refrigerantes.

8- Comida na praia

Na praia a alimentação deve ser leve, para não estragar a brincadeira. Deve-se levar fruta, sandes e muitos líquidos.

Deve-se evitar os alimentos dos vendedores de praia, devido às horas de exposição solar poderão estar estragados, a melhor solução é preparar as refeições em casa e levar no saco térmico.

A regra é que a criança não deve ir para o mar após comer, deve-se ter atenção ao tempo de refeição, por isso o ideal são refeições leves para garantir que o período de digestão curtos, porque o que elas mais gostam é de andar na água, tipo peixinho.

9- Piscina para a praia

Quando a criança ainda é muito pequenina, pode-se levar uma piscina adequada para a praia, eu levei algumas vezes à Isabel, até ela fazer 2 anos.

Enchia com água de manhã e à tarde já estava mais quente e deixava estar um pouco a banhar-se. Adorava!

10 – Roupa

A minha regra é simples, quanto mais confortável melhor. Escolho roupas de algodão para deixar respirar melhor.

Levo sempre uma t-shirt de cores claras sem mangas. Quando a Isabel era mais pequena e usava fralda, chegava a tirar a fralda e a vestir uma cueca, a fralda tornava-se muito quente e húmida.

Agora uso a T-shirt com proteção solar, comprei na Decathlon, é ideal para brincar na praia e para dentro de água pois também a protege do frio da água do mar.

11- Bóias

A bóia representa no meu ponto de vista uma protecção extra, e estou a falar da bóia de braço.

Quando ela era mais pequena comprei-lhe uma bóia tipo barco, ela sentava-se, gostei muito na altura e ela adorou, sentia-se mais segura na água, uma especial atenção,

NUNCA,

devemos largar a bóia pois o mar pode rapidamente levar a bóia noutra direcção senão estivermos atentos.

O mais importante é que façam o vosso melhor, tendo sempre como foco a criança e o seu bem-estar.

Beijinhos e desejo de um dia feliz!

Alexandra Catarino
Autor

Office Manager numa empresa de biotecnologia, engenheira química de formação, contabilista da casa e uma mãe galinha mas ternurenta! Assim me apresento neste meu blogue, onde vou partilhar com vocês as dicas e regras que sigo para manter o meu UNIVERSO COR-DE-ROSA

Comente Este Artigo

nineteen − 10 =